curiosidades


 


 

ricardo

Ricardo Medeiros e Cristina Braga construíram uma longa parceria na música e na vida.

Eles se encontraram ainda na Faculdade de Música da UFRJ – e Cristina aprendeu a improvisar e a tocar música popular principalmente com ele.

Ricardo começou sua vida musical tocando rock e mpb e acompanhando nomes como Raul Seixas, Zizi Possi, Zé Rodrix – criou bandas com Jaques Morelenbaum, Victor Biglione, e tinha na turma que levava um som no pequeno estúdio de sua casa, amigos como Lenine, Rodrigo Campello, Zé Renato e muitos mais. Ele graduou-se em Engenharia Eletrônica construindo um sintetizador de sons, ainda na década de 80.

Então decidiu estudar contrabaixo clássico e tornou-se o spalla do naipe de contrabaixos da Orquestra Sinfônica Nacional da UFF até 2015.

Cristina and Ricardo tocaram juntos no OPU5, no Bambu, e ele tem sido um constante produtor e arranjador em todos os seus discos. Mot D’amour em Whisper foi especialmente escrito por ele para ela, com letra de Bernando Vilhena.

 


 

Uaná Etê Garden

Uaná Etê Jardim

Luiz Claudio Marigo Exposition in “FLOR Atlântica”

Luiz Claudio Marigo – Exposição em “FLOR Atlântica”

 

Roberto Menescal’s lecture about Bromelias

Roberto Menescal – palestra sobre bromélias

 

Cristina Braga teve um acidente em uma moenda de cana de açúcar, quando ainda era uma pequena menina de quatro anos. No incidente ela quase perdeu, totalmente esmagado, um dedo da mão esquerda. Mas um jovem médico, da pequena cidadezinha de Rodeio, Engenheiro Paulo de Frontin, naquele tempo distrito de Vassouras, nas montanhas do Rio, salvou seu dedo perfeitamente, com uma intervenção médica genial . Ela então pode seguir seu sonho de se tornar a harpista que hoje é. Cristina nunca esqueceu, e anos depois criou na mesma região com muito sucesso o “Festival Vale do Café”, um festival de música com concertos em igrejas e fazendas históricas. Em 2014 com Ricardo Medeiros, ela começou a plantar o Jardim de Música “Uaná Etê” www.uanaete.com (significa na língua geral indígena “multidão de vagalumes”), um local para concertos, eventos, e retiros criativos a céu aberto, neste mesmo distrito; e finalmente em 2015 ela começou um novo festival devotado à natureza e à arte, “FLOR Atlântica” www.floratlantica.com aonde artistas como Roberto Menescal, apaixonados pela natureza como ela dão palestras sobre plantas, exposições acontecem em bosques centanários, recitais de poesia tomam prédios históricos com flores…

 


 

Copacabana Palace

Copacabana Palace

Rio de Janeiro Opera House, the Theatro Municipal

Rio de Janeiro, Theatro Municipal

 

Antes de ganhar o concurso e ocupar o posto de primeira harpista da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Cristina tocava música clássica em recitais de música de câmara, e música popular regularmente na noite, em casas de shows como Rio Jazz Clube, Au Bar, Jazzmania, e no Copacabana Palace Hotel.

Lá ela conheceu personalidades como Lady Di, Sting, Paulo Coelho. Durante sua estadia, Sting sempre a cumprimentava pela sua música, e uma noite pediu para experimentar sua harpa. Ele sentou-se e tocou. Apesar desta harpa alguns anos depois ter apresentado problemas técnicos e ter ficado impossibilitada de ser tocada, Cristina guardou-a como uma lembrança por pelo menos mais uma década!